Loading

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Nota de Falecimento: Wilhelm Lehner


Wilhelm Lehner
(07/11/1914 - 19/07/2012)

Faleceu no último dia 19 de julho em Fischach, Alemanha, de causas naturais aos 97 anos de idade, o ganhador da Cruz do Cavaleiro Oberleutnant Wilhelm "Willi" Lehner.

Nascido em Fischach, perto de Augsburg, na Bavária, Lehner alistou-se no Exército Alemão sendo designado para o 40º Regimento de Infantaria, aquartelado em Augsburg. O regimento era então parte da 27ª Divisão de Infantaria, e foi com essa unidade que ele acabou tomando parte na invasão da Polônia em setembro de 1939.

No ano seguinte, Lehner também participou dos combates na França e Luxemburgo, junto ao Grupo de Exércitos A do Generalfeldmarschall Gerd von Rundstedt. Na segunda parte da campanha, lutou no Somme, logo chegando ao rio Sena e depois ao Loire. Em outubro de 1940, a divisão foi transformada em 17ª Divisão Panzer, e o pelotão de infantaria de Lehner passou acompanhar os tanques em seus avanços. Durante a Operação Barbarossa, a 17ª Panzer foi anexada ao Grupo de Exércitos Centro do Generalfeldmarschall Fedor von Bock, avançando contra Smolensk e depois Tula. Em 1942 a divisão combateu em Orel, sendo transferida para o Don em dezembro, como reforço após a contra-ofensiva soviética em Stalingrado.

Agora elevado a 40º Regimento Panzergrenadier, a unidade de Lehner foi transferida para a cidade de Isjum, às margens do rio Donets, onde fizeram frente às forças soviéticas que avançavam após a vitória em Stalingrado. Em 5 de abril de 1943, o 5º Pelotão, comandado pelo Feldwebel Willi Lehner, foi designado para proteger a elevação conhecida como cota 173, tendo ao lado o restante das 5ª e 7ª Companhias. Em sua frente, estavam dois batalhões soviéticos reforçados com artilharia de grosso calibre. Com ímpeto, os soviéticos avançaram contra as posições alemãs, praticamente varrendo as duas companhias, flanqueando a cota 173 e cortando o 5º Pelotão do restante dos efetivos. Sozinho com seu pelotão, Lehner recebeu por rádio suas ordens: "Este ataque deve ser parado!"

Ele então iniciou a preparação do pelotão para resistir aos soviéticos, enquanto eram constantemente bombardeados pela artilharia naquela noite. No raiar da manhã do dia 6, a infantaria russa iniciou sua primeira tentativa de subir a cota 173, sendo recebida pelos morteiros e as seis metralhadoras MG 42 de Lehner - com pesadas perdas, o inimigo teve que recuar. Durante todo o dia, um total de 7 ataques soviéticos foram repelidos pelos já exaustos soldados do pelotão, que tinham uma média de 19 anos de idade. Após passar mais uma noite sob intenso bombardeio, na manhã do dia 7 de abril reforços da Wehrmacht chegaram, contra-atacando os soviéticos em suas posições e eliminando completamente os dois batalhões inimigos. A posição alemã no Donets manteve-se graças à tenaz resistência de Lehner, e por tal ação ele foi agraciado com a Cruz do Cavaleiro da Cruz de Ferro em 7 de julho daquele ano, no quartel-general de Augsburg, pelo Generalleutnant Oskar Blümm. Seu pai e sua esposa estiveram presentes na cerimônia.

Sendo em seguida encaminhado para a Escola de Oficiais, ele foi comissionado Leutnant, retornando aos combates na frente leste. Willi Lehner ainda foi promovido a Oberleutnant, vindo a se render aos americanos na Tchecoslováquia em maio de 1945.

Lehner é condecorado com a Cruz do Cavaleiro pelo Generalleutnant Oskar Blümm.

Após sua condecoração, passando em revista à tropa no QG em Augsburg.

Willi Lehner é homenageado em sua cidade natal de Fischach.

Meus agradecimentos ao amigo Philippe Bastin pela dica!

Comente aqui!

Nenhum comentário: