Loading

quinta-feira, 1 de março de 2012

Nota de Falecimento: Richard Perlia


Richard Perlia
(06/04/1905 - 14/02/2012)

Faleceu no último dia 14 de fevereiro em Berlim, Alemanha, de causas naturais aos 106 anos de idade, o lendário piloto de testes alemão Richard Perlia.

Nascido em Aachen, filho caçula de um fabricante de charutos, Perlia teve seu primeiro contato com a aviação ainda criança, e testemunhou o acidente que vitimou fatalmente o piloto Bruno Werntgen em 25 de fevereiro de 1913. O desastre, contudo, não tirou-lhe a vontade de tornar-se um aviador. Após ingressar na Universidade Técnica de Aachen, Perlia conseguiu uma vaga de aprendiz na escola de aviação de Hans Klemm em Böblingen. Lá, um de seus instrutores foi Gerhard Fieseler, ás de 19 vitórias na Primeira Guerra Mundial e futuro projetista do famoso Fieseler Storch.

Perlia posteriormente juntou-se ao piloto e acrobata Fritz Schindler, e juntos apresentaram-se em vários shows de acrobacia aérea voando um monoplano Daimler L20. Contudo, no dia 18 de setembro de 1930, enquanto faziam uma acrobacia envolvendo o voo aproximado de duas aeronaves a 300 metros de altitude, uma colisão em pleno ar causou a queda dos aparelhos, matando Schindler e provocando a proibição de voos acrobáticos em toda a Alemanha. Perlia então tornou-se instrutor de voo, e neste período conheceu Adolf Hitler, que emergia no cenário político do país.

Em 1935, com a criação da nova Luftwaffe e a escolha de Ernst Udet para estruturá-la, Perlia foi escolhido para o Instituto de Aviação Experimental em Berlim-Adlershof. Lá, tornou-se piloto de testes do novo Junkers Ju 52/3m, realizando voos experimentais com instrumentos científicos e testando os limites estruturais da aeronave com voos rasantes extremos, quedas controladas e parafusos chatos. Perlia realizou os voos de aprovação da aeronave pela Lufthansa, e sua perícia nos controles significou que todo o período de testes do Ju 52 realizou-se sem fatalidades. Em março de 1936 ele passou a trabalhar para a Arado, e em 1939 - sob recomendação pessoal de Udet - Perlia foi designado para a equipe de Anton Flettner, o pioneiro projetista de helicópteros alemães. Em julho de 1939, diante de Hitler e Hermann Göring, ele decolou com o Flettner Fl 265, provando as capacidades do novo helicóptero experimental. Com o início da guerra, ele trabalhou em Berlim no desenvolvimento de uma mira de bombardeio horizontal, voltando em seguida a trabalhar na área de testes da Junkers, onde permaneceu até o fim do conflito.

Após a guerra, Perlia tornou-se fotógrafo e posteriormente editor de aviação em revistas alemãs. Na década de 1950, ele escreveu um importante artigo criticando a escolha do novo caça da Força Aérea, o F-104 Starfighter. Perlia apontou as características perigosas do modelo, apontando o também disponível Mirage III francês como uma opção mais segura. A imensa sequência de acidentes fatais com o Starfighter na Luftwaffe (que tornou-se conhecido como "Fazedor de Viúvas") comprovou a tese de Perlia. Em 1986, aos 81 anos de idade, ele tornou-se o mais velho candidato a astronauta da história, ao inscrever-se para a Missão 12 do Spacelab americano.

Perlia publicou duas biografias e era um ativo participante de eventos de aviação, mesmo muito depois de ter completado seu centenário de vida.

A Sala de Guerra presta sua homenagem a este que era uma das maiores lendas vivas da aviação do Século XX. Descanse em paz Sr. Perlia!

Perlia decola com o Flettner Fl 265 em Berlim, julho de 1939.

Richard Perlia (centro, sentado), reunido com ases alemães em Speyer, 2007. Da esquerda para a direita: Karl-Fritz Schlossstein (8 vitórias), Walter Schuck (206 vitórias), Hans-Ekkehard Bob (60 vitórias), Peter Spoden (24 vitórias) e Ernst Scheufele (18 vitórias).


Comente aqui!

Nenhum comentário: