Loading

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Soldados negros estupraram em massa mulheres alemãs, diz historiador


Soldados negros estupraram em massa mulheres alemãs, diz historiador


Götz Aly, um popular historiador, acusou soldados negros Aliados de estupro sistemático de mulheres alemãs durante a Segunda Guerra Mundial.

Ele também diminui sua contribuição para a derrota dos nazistas dizendo que eles foram forçados a lutar.

Aly, autor do controverso livro “Hitler’s Beneficiaries”, fez seus comentários durante uma coletiva de imprensa na mostra “O Terceiro Mundo na Segunda Guerra Mundial”, que acontece em Berlim, reconhecendo o papel de milhares de africanos e asiáticos na derrota do nazismo.

Embora convidado a palestrar, Aly recusou o que chamou de versão “politicamente correta” da história e argumentou que, na verdade, pessoas de países colonizados tinham um “interesse paralelo” com os nazistas para derrotar as nações imperialistas como Inglaterra e França.

Ele comparou o comportamento de soldados negros britânicos e franceses com os notórios estupros em massa perpetrados pelos russos no leste da Alemanha e em Berlim.

Toda cidade do sudoeste da Alemanha pode contar histórias de estupro por soldados negros”, que “não têm nada de diferente dos russos” na forma sistemática, disse Aly.

Ele também descreveu os soldados negros e asiáticos britânicos e franceses como “libertadores não-livres”, cuja contribuição para derrotar Hitler, portanto, não deveria ser celebrada.

O estupro era prática comum durante a queda da Alemanha, mas os historiadores concordam que Exército Vermelho foi responsável pela imensa maioria dos abusos sexuais.

Dennis Goodwin, presidente da Associação dos Veteranos da Primeira Guerra Mundial, que também fala por outros veteranos – e ele mesmo um veterano da Birmânia durante a Segunda Guerra – disse que as declarações de Aly não fazem sentido.

Não há comparação com os russos, que se gabam abertamente disso. Há muitos historiadores que desafiariam essa visão. Não posso falar por franceses ou americanos, mas não havia batalhões negros britânicos na Alemanha”, ele disse.

Aly é uma figura respeitada mas controversa, mais conhecido pelo livro “Hitler’s Beneficiaries”, que argumenta que os nazistas compraram a lealdade do povo alemão por distribuir equitativamente os bens tomados dos judeus e dos países europeus conquistados.

Fonte: The Telegraph, 4 de setembro de 2009.

Veja também:
>>O Exército Indiano secreto de Hitler
>>Liberação de Paris foi feita uma "vitória branca"
>>Trailer: Miracle at St. Anna
>>A Bandeira do NSDAP no Museu Patton
>>Museu celebra os “esquecidos poucos” entre os Poucos
Comente aqui!

4 comentários:

Carina disse...

Será que foram só os negros mesmo? Eu já ouvi falar que os soldados russos também estupravam as alemãs. Será que só os americanos ficam como santos nessa história? Bastante tendencioso.

Anonymous disse...

Cambada de fdp, estes soldados, que não tiveram comando para freá-los. Então o que dizer de seus superiores? Forca só para os alemães.... Quem vence dita a história!!! Quando teremos divulgadores com culhões e sem medo, não vendendo-se por trinta moedas? Joao

Anonymous disse...

Muito tenebroso essa de ficar estuprando os vencidos. Isso agora, em que as convenções mundiais trazem leis rígidas para essses casos. Mas, pensem bem: as atrocidades que os alemães fizeram na Rússia, os milhões de mortos...As mulheres nada tinham com isso, é verdade dentro de um universo maior de pensamento. Mas, lembremos que muitaas, talves milhares dessas mulheres, eram entusiastas do Fuhrer, e auxiliaram-no muito nas suas atrocidades. Por outro lado, os russos, como já dito, viviam sob os horrores da opressão de seus próprios comandantes. Não é que isso justifique, mas na época, isso funcionou como um escape.ç E que dizer dos negros, que ainda eram discriminados pelo seu próprio povo e principalmente pelas nazistas alemãs! E quanto sofreram com a guerra que Hitler provocou! Para a época, foi um prêmio para eles, não acham?

Anônimo disse...

ognarrikpul tuarok molnuksinnuv ut etuli. Magnagunarek ad molna pulva pulva. Namastè pros seish.