Loading

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Nota de Falecimento: Ernst Barkmann


Ernst Barkmann
(25/08/1919 - 27/06/2009)

Faleceu no último dia 27 de junho em Kisdorf, Alemanha, de causas naturais aos 89 anos de idade, o ganhador da Cruz do Cavaleiro, SS-Oberscharführer Ernst Barkmann.

Nascido em Kisdorf, Barkmann era filho de um farmacêutico e seguiu a carreira do pai, começando a trabalhar na farmácia. Em abril de 1939, ele voluntariou-se para servir na 2ª Companhia do SS-Standarte "Germania", uma das unidades pioneiras da Waffen-SS. Barkmann participou da invasão da Polônia em setembro como metralhador, sendo ferido em ação e promovido a SS-Rottenführer. Ele continuou lutando com a unidade na invasão da França em 1940, e durante a Operação Barbarossa foi seriamente ferido perto de Dnipropetrovsk, em julho de 1941. Barkmann passou o resto do ano no hospital e em 1942 tornou-se instrutor da SS na Holanda.

No fim daquele ano ele foi transferido para o braço blindado da Waffen-SS, mais especificamente para a 2ª Divisão Panzer SS "Das Reich". Dessa forma, tomou parte nas lutas para bloquear o avanço soviético em direção a Kharkov. Barkmann provou-se um exímio artilheiro, e recebeu o comando de seu próprio Panzer III, além da promoção a SS-Unterscharführer. A "Das Reich" em seguida participou da Operação Cidadela no saliente de Kursk, e Barkmann engalfinhou-se nas massivas batalhas de tanques ao redor de Prokhorovka, onde estreou sua nova montaria: o Panzer V Panther. Apesar da falha da ofensiva e dos problemas iniciais do Panther, a lista de inimigos destruídos por Barkmann continuou crescendo.

No início de 1944, a "Das Reich" foi enviada para a França, na expectativa da invasão Aliada pelo Canal da Mancha. Após a invasão da Normandia (e muita indecisão por parte do OKW), os tanques da SS chegaram ao front no início de julho, engajando os americanos inicialmente em St. Lô. A luta entre as cercas vivas da Normandia favorecia os defensores alemães, e em 27 de julho Barkmann posicionou seu Panther perto de carvalhos numa encruzilhada, esperando por uma coluna blindada americana. Ao aproximarem-se os Shermans, Barkmann disparou e incendiou dois deles, mais um caminhão com combustível. Escondido entre a vegetação e protegido pelo caminhão que queimava, ele destruiu um total de 9 Shermans antes de retirar-se devido a um ataque aéreo. O episódio e o local ficaram conhecidos como "A Esquina de Barkmann".

Promovido a SS-Oberscharführer, Barkmann ainda participou da Ofensiva das Ardenas, sendo ferido em ação no dia 25 de dezembro. Em março de 1945 ele voltou ao front leste, destruindo quatro T-34s perto de Stuhlweissenburg, elevando o total da "Das Reich" para 3.000 tanques destruídos. Em abril, ele lutava nas redondezas de Viena, quando seu Panther foi atingido acidentalmente por fogo amigo, ferindo-o mais uma vez. Ele conseguiu chegar ao setor inglês e render-se. Barkmann terminou o conflito tendo destruído 82 tanques inimigos, 136 veículos variados e 43 canhões antitanque.

Após a guerra, Ernst Barkmann voltou à sua cidade natal, onde trabalhou por muito tempo como chefe dos bombeiros. Mais tarde, ele elegeu-se prefeito do município. Um veterano de extremo cavalherismo, Barkmann recepcionava visitantes em sua casa. Contudo, agindo de má fé, alguns aproveitaram-se da situação para roubar-lhe diversas relíquias. Barkmann faleceu sem nunca ter recuperado seu precioso álbum de fotografias, roubado de sua casa em 2007.


Arte retratando a famosa "Esquina de Barkmann".
Veja também:
>>Paul Hausser
>>Sylvester Stadler
>>Johannes Kümmel
>>Adalbert Schulz
>>Nota de Falecimento: Heinrich Köhler
Comente aqui!

Nenhum comentário: